Vencendo a Procrastinação

Antes de você buscar uma mudança, observe se você faz o uso das regras listadas abaixo

Técnicas comprovadamente eficazes para gerar muitas preocupações e nenhuma linha escrita

Livro de regras da procrastinação para escrita de trabalhos

1) Só sente para escrever quando "estiver a fim" de fazê-lo



2) Coloque por escrito apenas as ideias que forem inéditas e potencialmente revolucionárias - não desperdice seu tempo escrevendo sobre temas medíocres

3) Convença a si mesmo que a força de vontade é a principal questão. Quando ela vier (tal como uma luz vinda do céu que atravessa as nuvens e incide sobre a sua, e apenas sobre a sua, cabeça) seus problemas acabarão. Como você não é psicótico ao ponto de acreditar que tem qualquer ingerência sobre uma força sobrenatural como esta, tudo que você tem a fazer é esperar por essa tão desejada e misteriosa força de vontade.

4) Coloque um ponto final no debate "Nature vs Nurture" (o que determina aquilo que somos: a Natureza / Genética [nature] ou o Ambiente / Aprendizagem [nurture]?). A resposta é a NATUREZA. Em outras palavras, as pessoas ou nascem com um dom, ou não nascem. Um bom neurocirurgião, por exemplo, sempre teve essa capacidade encrostada em seus genes, sendo absolutamente secundário o fato de ele ter passado 6 anos na faculdade de medicina, 2 anos de residência em medicina interna, 3 anos de residência em neurologia clínica e 3 anos de residência em neurocirurgia. De menos importância ainda é o fato de que, ao longo desses 14 anos de formação, esse neurocirurgião nunca dedicou menos de 60 horas semanais para seus estudos/prática. É óbvio que esse médico só é o que é porque a neurocirurgia "corre em suas veias". Você não chegaria nem perto mesmo que dedicasse as mesmas 43.680 horas em sua formação (14 anos x 52 semanas por ano x 60 horas semanais = 43.680 horas)



5) Nunca aceite nada menos que a perfeição ao escrever toda e qualquer linha do seu trabalho. Se você está escrevendo um trabalho de conclusão de curso, no mínimo você já tem praticamente o Ensino Superior completo. Como o próximo nome sugere, "superior" define você como pessoa com capacidades muito acima daquelas possuídas pelos demais reles mortais. Se o seu trabalho de conclusão for em nível de pós-graduação, independente da sua experiência prévia na escrita científica, o mínimo que você pode esperar de si mesmo é que, ao sentar na frente do computador, as frases saiam com fluidez e automaticamente através de seus dedos (obviamente já escritas com a clareza e precisão requeridas pela ciência, sem a necessidade de retomá-las para melhorá-las)



6) Só tente escrever quando as condições estiverem favoráveis para tal. Estas condições incluem: a) uma temperatura agradável (entre 22 e 24 graus); b) silêncio absoluto (se estão construindo um prédio ao lado do local onde você escreve, não há outra saída que não esperar o término da obra - afinal o barulho pode ocorrer em momentos aleatórios e interromper seu preciso momento de concentração. Além disso, você não é nenhum milionário para gastar R$ 1,00 em um par de tampões de silicone para os ouvidos, que duram apenas cerca de 10 dias); c) organização total e absoluta do ambiente no qual você escreve (você nunca vai conseguir escrever algo que preste se, por exemplo, o porta CD's que fica atrás de você não estiver com todos CD´s organizados por ordem alfabética e agrupados segundo o gênero musical. Se você estiver com dúvidas acerca de como deveria ser classificado o gênero de um determinado álbum, faça uma pesquisa na internet antes de tentar escrever, para assegurar-se de que aquele CD foi classificado corretamente e está no lugar certo. Caso você encontre opiniões divergentes na internet sobre o gênero do referido álbum, monte uma tabela de Excel com duas colunas - uma para o endereço do site e outra para a classificação dada por esse site. Em seguida pesquise todos os sites da internet sobre o assunto [sendo aceitável apenas aqueles em inglês, espanhol e português, na eventualidade de você não dominar todos idiomas do mundo] e preencha cada linha das colunas com as respectivas informações: "endereço do site: www._____.xyz, classificação: ABC; endereço do site: www.--------.zyx, classificação: ABD" e assim por diante. Concluído esse levantamento, é hora de fazer a análise estatística para verificar se realmente há uma diferença significativa entre as diferentes opiniões coletadas. Para tanto, não peça a ninguém fazer a análise por você, pois as pessoas podem tratar com descaso uma questão tão importante quanto essa [nunca esqueça: "se quer bem feito, faça você mesmo"]. Antes disso, pesquise pelo menos três referências bibliográficas, retiradas de fontes seguras [faça uma pesquisa na internet se você não tiver absoluta clareza do que é uma "fonte segura", e depois visite pelo menos duas bibliotecas de Universidades prestigiadas para confirmar seus achados, pois naturalmente você não tem como saber se a própria internet é uma fonte segura para descobrir o que é uma fonte segura. Caso você tenha dúvida sobre como saber se as Universidades que você pensou são de fato prestigiadas, ligue para as concorrentes e peça um parecer a respeito {obviamente que, se você ligar para a própria Universidade, ela vai dizer que é prestigiada}], sobre os seguintes assuntos: Níveis de mensuração, diferenças entre estatística descritiva e inferencial, teste de hipóteses, probabilidades, nível de significância, testes paramétricos e não paramétricos, poder do teste, Erro tipo I e Erro tipo II. Após dominar esses conceitos, é só dar um jeito de conseguir um software estatístico e mandar ver! Agora sim você poderá colocar aquele álbum no lugar correto e continuar o processo de criar as condições favoráveis para escrever; d) se você pulou a explicação do item anterior por achar que não se aplica a você, volte e leia com atenção - você nunca sabe quando pode precisar...; e) faça um check-list para verificar se suas funções vitais estão em nível ótimo para escrita. Avalie e corrija se necessário: I) volume de urina na bexiga; II) nível de hidratação; III) estado nutricional; IV) nível de alerta. Confira um item de cada vez (nada de multi-tarefa!), e levante-se da frente do computador quantas vezes forem necessárias para tomar as medidas corretivas cabíveis para regulação ótima da sua atividade fisiológica (se você tem dúvida sobre a imprescindível necessidade de ter suas funções biológicas em perfeito estado de funcionamento, recomendo a leitura do livro "Corpo Ativo, Mente Desperta" de John Ratey. Mas atenção! só vá buscar esse livro se estiver comprometido a lê-lo do início ao fim, dando seguimento ao combate à procrastinação apenas depois de terminar a leitura. Se você encomendou o livro pela internet, simplesmente relaxe um pouco nesses dias que demoram para encomenda chegar, e retome a leitura dessa lista de regras depois que tiver devorado o livro encomendado.)



7) Como é grande o trabalho que você tem pela frente, nunca perca essa perspectiva mais ampla ("big picture" como se diz em inglês). Assim, condicione sua mente a sempre pensar da seguinte maneira quando for escrever: "tenho que escrever o meu trabalho". Jamais sente-se diante do computador se estiver passando pela sua cabeça algum pensamento profano / reducionista como esse: "Vou me sentar aqui e, nos próximos 20 minutos, vou escrever os objetivos que quero atingir com esse trabalho. Depois que tiver pronto isso, vou dar uma conferida no Facebook". Lembre-se do dito "os fatos falam por si" - basta olhar seu histórico para comprovar que você nunca teve a inspiração necessária para escrever sem antes ter entrado no Facebook, aberto seus e-mails e se atualizado com as últimas notícias sobre a moda e/ou futebol

8) Confie na sua bem conhecida capacidade de trabalhar sob pressão. Não há lógica nenhuma em você manter uma regularidade ou criar um ritual de escrever sistematicamente se "na hora que eu preciso mesmo, eu dou um jeito". É masoquismo sofrer regularmente ao longo de semana após semana se você consegue fazer tudo em uma madrugada regada à cafeína

9) Exerça sua cidadania usando seu potencial intelectual para uma causa socialmente nobre. Ao invés de desperdiçar sua energia escrevendo, faça um dossiê de argumentos contra o sistema capitalista opressor que obriga as pessoas a escreverem independente de elas quererem ou não. Colecione argumentos para mostrar ao mundo que você é um profissional capaz e que faz muito bem todas atividades que exerce, sendo o trabalho de conclusão uma exigência arbitrária (redundâncias são permitidas aqui para reforçar seu argumento - valeria até "exigência imposta arbitrariamente", ou "arbitrariedade imposta com exigência") que não trará benefício algum a sua vida 



10) Após ler essas regras, não tente imediatamente parar por 10 minutos e simplesmente escrever algumas linhas para dar um primeiro passo. Não faça isso por dois bons motivos: I) 10 minutos é muito pouco tempo e você não conseguirá escrever nada de significativo nesse período tão exíguo; e II) esse que você acabou de ler é apenas um entre os milhares de materiais disponíveis acerca de como vencer a procrastinação - certifique-se primeiro de pesquisar tudo a respeito do assunto para certificar-se que você encontrará O melhor método (sim, "O" melhor método, pois certamente existe apenas um que seja o melhor, e você vai descobrir naturalmente qual é depois que fizer uma extensa revisão sobre o assunto)

Baixe aqui estas 10 regras para ler em outro momento...

Se você já segue à risca estas regras, click no botão abaixo e conheça as 12 estratégias para deixar deixar de ser um procrastinador!